Opinião: Os Caminhos da Alma de James Van Praagh

 

Livro: Os Caminhos da Alma – Viagens Entre o Céu e a Terra

Autor: James Van Praagh

Páginas: 201

Sinopse: Este livro destina-se a todos aqueles que já se interrogaram de onde vêm, porque estão aqui e para onde irão quando morrerem.
Ao partilhar as experiências de comunicação com o mundo espiritual, obtidas ao longo dos últimos trinta anos, James Van Praagh vai conduzi-lo à descoberta dos desígnios da sua alma e à exploração dos caminhos por ela percorridos nos mundos terreno e espiritual.
Em Os Caminhos da Alma, James Van Praagh oferece respostas para as questões mais importantes sobre a vida além do mundo material, incluindo:
– O que é a alma?
– O que acontece ao nosso espírito quando morremos?
– Como se processa a reencarnação?
– Que lições aprende a nossa alma quando retorna ao mundo terreno, e como podemos nós reconhecê-las?
“Os Caminhos da Alma: Viagens Entre o Céu e a Terra” é um incrível guia que irá ajudá-lo a compreender a complexidade da sua alma e a viver a vida de acordo com o destino que para ela está traçado: trilhar o caminho do amor.

Opinião:

“Por isso, fica em paz com Deus, como quer que O concebas, e sejam quais forem as tuas dificuldades e aspirações, na confusão barulhenta da vida, fica em paz com a tua alma.” Este é um pequeno excerto do poema Desiderata partilhado pelo autor no final deste livro. O poema (ou texto de reflexão, como lhe queiram chamar) tem uma mensagem lindíssima, assim como o conteúdo deste livro.

James Van Praagh é um dos médiuns mais conceituados do mundo (com quase 30 anos de experiência) e aborda neste livro vários temas relacionados com a Alma, tais como consciência, poder do pensamento, as lições e escolhas da alma e o mundo espiritual. É um livro com uma mensagem muito positiva e partilha no final, não só o poema Desiderata na íntegra, como várias meditações guiadas.

Saliento a capa lindíssima deste livro. De notar alguns conceitos arrojados e desafiantes apresentados pelo autor para tornar esta experiência terrena mais enriquecedora para a Alma e partilha, também, algumas experiências pessoais ao longos dos anos. Uma leitura interessante e de reflexão!

Classificação: 3*

Também li deste autor:

Conversas com o Céu

Li este livro no início de 2013. Antes de ter criado o blogue, por isso não tenho opinião aqui exposta. Contudo, foi um dos primeiros livros que li neste âmbito, com esta abordagem espiritual, e que me deixou muito curiosa para estes temas no geral. Um livro muito revelador e inspirador!

Opinião: A Hora do Vampiro de Stephen King

 

Livro: A Hora do Vampiro

Autor: Stephen King

Páginas: 516

Sinopse: Ben Mears, um escritor de sucesso, regressa ao Lote de Jerusalém (também conhecido como Lote de ‘Salém), no Maine, para escrever um livro acerca da casa que o assombra desde criança. Ao chegar à sua cidade natal, depara-se com um cenário de pesadelo: a cidade, isolada, está infestada de vampiros, que espalham o caos e a morte. na esperança de conseguir travá-los, Ben Mears consegue reunir um pequeno grupo de pessoas para combater o Mal que invadiu a cidade.

Opinião:

Quando juntamos terror, vampiros e Stephen King é a receita para umas horas de leitura insaciável. Existe algo de muito especial na escrita deste brilhante autor. É apelidado, por muitos, como o “mestre do terror” e neste livro faz jus a esse nome.

A sua narrativa é muito bem construída, onde tudo tem uma ligação, por mais insignificante que pareça. Rapidamente mergulhamos neste mundo imaginário de King e o tempo parece que voa e desaparece mediante o compasso das páginas desta obra. As suas personagens brilham de forma individual e todas elas (mesmo as mais secundárias) têm uma história e uma base que estabelecem uma ligação de empatia com o leitor.

As cenas de suspense e horror estão muito bem delineadas. Senti, por vezes, que estava a ver um filme, pela qualidade da sua escrita. Mais uma vez adorei ler Stephen King. Este livro é fantástico. Recomendo a todos os que gostam de uma boa história de terror!

Classificação: 6*

Também li deste autor:

O Retrato de Rose Madder (Opinião aqui)

A Metade Sombria (Opinião aqui)

 

Opinião: O Vórtice de Esther e Jerry Hicks

 

Livro: O Vórtice

Autores: Esther e Jerry Hicks

Páginas: 264

Sinopse: Este livro desvenda uma miríade de falsas premissas que estão na raiz de todo e qualquer problema relacional e conduz-nos para uma compreensão clara do funcionamento do poderoso Vórtice criativo que atrai e encadeia os relacionamentos que desejamos. Abraham explica-nos como se entra nesse Vórtice, onde encontraremos tudo e todos os que procuramos.

Opinião:

Este livro apresenta o trabalho de Esther e Jerry Hicks que se baseia nos ensinamentos de Abraham, um grupo de mestres não-físicos que se manifestam através de Esther. Sucintamente, fala no papel da poderosa Lei da Atracção em todas as áreas da nossa vida, mediante os nossos pensamentos, desejos e emoções.

Trata-se de um livro com um conceito arrojado e uma linguagem muito específica, o que obriga a uma leitura mais cuidada e pausada para um entendimento completo da mensagem transcrita. O livro apresenta “como criamos e atraímos todas as relações pessoais” quer de forma voluntária ou involuntária.

Um livro que mistura conceitos de metafísica, espiritualidade e livre-arbítrio. A mensagem base é que “criamos a nossa realidade” através das nossas crenças, pensamentos e emoções. Contempla uma mensagem intrínseca de esperança e de poder interior, numa perspectiva de que sempre podemos melhorar a nossa vida, independente das condições e circunstâncias que nos rodeiam. Um livro diferente, excêntrico e revelador!

Classificação: 3*

Opinião: NYPD Red, À Margem da Lei de James Patterson e Marshal Karp

 

Livro: NYPD Red, À Margem da Lei (Livro 2, NYPD Red)

Autores: James Patterson e Marshal Karp

Páginas: 336

Sinopse: A NYPD Red enfrenta agora o seu inimigo mais perigoso de sempre.
Há um serial killer à solta em Nova Iorque, perseguindo e assassinando criminosos que conseguiram escapar à Justiça. À medida que o número de vítimas deste justiceiro por conta própria aumenta, cada vez mais nova-iorquinos o apoiam.
O detetive Zach Jordan e a sua parceira Kylie MacDonald são destacados para o caso quando mais uma pessoa, uma mulher ligada à campanha eleitoral de um dos candidatos à Câmara de Nova Iorque, é assassinada. Zach e Kylie têm de descobrir quais são as verdadeiras motivações deste assassino, uma vez que por detrás deste último crime se escondem segredos da ordem da vida pública e privada. No entanto, Kylie tem agido de forma estranha, e Zach teme que o que quer que se esteja a passar com a sua parceira possa pôr em risco o maior caso das suas carreiras.

Opinião:

Este é o segundo volume da série NYPD Red criada pelo autor best-seller James Patterson e pelo argumentista e escritor Marshall Karp. Neste livro voltamos a encontrar os agentes Zach Jordan e Kylie MacDonald com as suas personalidades distintas e marcantes. Desta vez, perseguem um assassino (ou um grupo de assassinos) que poderá estar mais perto deles do que inicialmente previsto.

Esta é uma série, muito interessante, cuja unidade de detectives se centra na resolução de casos criminais das mais altas figuras da sociedade. Existem, por vezes, interesses políticos e sociais envolvidos nos seus casos e este é um deles.

Ao longo da narrativa temos um vislumbre das vidas pessoais de ambos os detectives e também dos próprios antagonistas da história. A escrita é concisa, perspicaz e cheia de acção. Penso que já tinha mencionado antes, mas as semelhanças com as séries televisivas do “tipo CSI” é evidente. Por vezes, parece que estamos a ver um filme. Gostei e recomendo a todos os que gostam de um bom policial.

Classificação: 3*

O primeiro volume desta série:

NYPD Red (Opinião)

Opinião: Sozinhos na Ilha de Tracey Garvis Graves

 

Livro: Sozinhos na Ilha (#1, On the Island)sozinhos-na-ilha

Autora: Tracey Garvis Graves

Páginas: 352

Sinopse: Uma ilha deserta plena de sol, vegetação luxuriante e mar cristalino é um cenário de sonho. Ou talvez não… Anna Emerson decide quebrar a sua rotina e deixar Chicago para dar aulas numa ilha tropical. Por seu lado, T. J. Callahan só quer voltar a ter uma vida normal após a sua luta contra o cancro. Mas os pais empurram-no para umas férias num destino exótico. Anna e T. J. estão a sobrevoar as ilhas das Maldivas a bordo de um pequeno avião quando o impensável acontece: o aparelho despenha-se no mar infestado de tubarões. Conseguem chegar a uma ilha deserta. Sãos e salvos, festejam e aguardam, convictos de que serão encontrados em breve. Ao início, preocupam-se apenas com a sobrevivência imediata e imaginam como será contar tamanha aventura aos amigos. Nunca a citadina Anna se imaginou a caçar para comer. T. J. dá por si a lutar com um tubarão e a ser acolhido por simpáticos golfinhos. Os dois jovens descobrem-se timidamente e exploram a ilha. Mas à medida que os dias se transformam em semanas, e depois em meses, as hipóteses de serem salvos são cada vez menores. Ambos têm sonhos por cumprir e vidas por retomar, e é cada vez mais difícil evitar a grande questão: conseguirão um dia sair daquela ilha?

Opinião:

Este é o primeiro romance da norte-americana Tracey Garvis-Graves e foi um sucesso mundial, tendo já uma adaptação cinematográfica. O romance transporta-nos para uma ilha deserta onde dois desconhecidos, após um acidente de aviação, se deparam com um cenário exótico e de sonho mas, simultaneamente, vêem-se isolados e privados de bens essenciais à sobrevivência humana.

As condições precárias de sobrevivência na ilha reflectem a importância de certos bens que temos no dia-a-dia (água potável, comida, roupa e abrigo) que nos passam despercebidos devido à facilidade de acesso e que em condições extremas – como as relatadas no livro – se tornam as maiores bênçãos possíveis. O romance de Anna e T.J. surge, de forma natural e gradual, cativando o leitor ao longo da trama. É um romance que desafia preconceitos sociais. Com alguma inocência e espontaneidade à mistura. É, simplesmente uma delícia!

A narrativa é fluída e muito bem construída. Os capítulos são sucintos e dividem-se entre as perspectivas de Anna e T.J. O final do livro foi muito bom, com algumas lágrimas à mistura (já não tenho emenda 🙂 ). Uma história muito agradável de se ler, com acção e muitos momentos de magia à mistura. Recomendo!

Classificação: 5*

Opinião: O Poder do Agora de Eckhart Tolle

 

Livro: O Poder do Agora – Guia para o Crescimento Espiritualo-poder-do-agora

Autor: Eckhart Tolle

Páginas: 267

Sinopse: Um texto que nos traz uma lição simples e singela: como usar o potencial do presente, como viver no agora. A nossa mente tende sempre a seguir um caudal de pensamentos, dirigindo-se para o passado ou para o futuro, esquecendose constantemente do presente. Mas é no presente, e na consciência do presente, que podemos encontrar a paz e a libertação. De forma prática e acessível, esta obra, uma apresentação do misticismo clássico para os tempos modernos, dá-nos a ver como aceder ao poder ilimitado do agora.

Opinião:

Eckhart Tolle é autor de vários best-sellers do New York Times e um dos conselheiros e mestres espirituais mais conceituados do mundo. Nasceu na Alemanha, mas vive actualmente em Vancouver no Canadá.

Este livro vendeu mais de 2 milhões de exemplares e apresenta um conceito de vida onde podemos estar livres de qualquer influência de experiências passadas e/ou expectativas futuras. Sendo o foco de atenção o momento presente – o Agora – pois é onde, efectivamente, nos podemos sentir livres e em paz. Sem qualquer expectativa, preocupação ou dilema. Independentemente das circunstâncias que nos rodeiam. Estamos, simplesmente, presentes neste momento. Onde somos mais que um corpo físico. Somos espírito, essência, consciência. Onde estamos junto de Deus (universo, energia criadora, ou como queiram chamar) e tudo o resto se dissolve perante um amor tão grande.

Neste livro o autor cita palavras e ensinamentos do livro A Course in Miracles (Um Curso em Milagres) e menciona Jesus e Buda, nos vários exemplos que nos dá. É um livro muito interessante, com uma mensagem desafiante e inspiradora. Recomendo!

Classificação: 3*

Também li deste autor:

um novo mundo eckhart tolle

Um Novo Mundo (Opinião)

Opinião: A Rapariga no Comboio de Paula Hawkins

 

Livro: A Rapariga no Comboioa-rapariga-no-comboio

Autora: Paula Hawkins

Páginas: 319

Sinopse: O êxito de vendas mais rápido de sempre. O livro que vai mudar para sempre o modo como vemos a vida dos outros.
Todos os dias, Rachel apanha o comboio…
No caminho para o trabalho, ela observa sempre as mesmas casas durante a sua viagem. Numa das casas ela observa sempre o mesmo casal, ao qual ela atribui nomes e vidas imaginárias. Aos olhos de Rachel, o casal tem uma vida perfeita, quase igual à que ela perdeu recentemente.
Até que um dia…
Rachel assiste a algo errado com o casal… É uma imagem rápida, mas suficiente para a deixar perturbada. Não querendo guardar segredo do que viu, Rachel fala com a polícia. A partir daqui, ela torna-se parte integrante de uma sucessão vertiginosa de acontecimentos, afetando as vidas de todos os envolvidos.
De leitura compulsiva, este é o thriller do momento, absorvente, perturbador e arrepiante.

Opinião:

Quando comecei a ler este livro, ainda mal tinha terminado o primeiro capítulo e percebi o porquê do sucesso estrondoso deste thriller arrepiante. A narrativa viciante, compulsiva e arrepiante são alguns dos factores de sucesso desta obra. A personagem principal é instável e nada confiável no seu comportamento, o que contribui, substancialmente, para a intriga e suspense da trama. É excelente a forma como os capítulos estão organizados, assim como a estrutura dos relatos das personagens envolvidas na história.

Esta obra possui muitas semelhanças com o romance de Gillian Flynn Em Parte Incerta. A história envolvente, a originalidade da narrativa e a forma como é apresentada, assim como os protagonistas irrisórios e suspeitos, são características que aproximam estas duas escritoras.

Com mais de dois 2 milhões de livros vendidos em apenas 3 meses este é um thriller que já foi adaptado ao cinema (ainda não tive oportunidade de assistir) e não deixa ninguém indiferente. “Prende-nos” desde a primeira página. É melancólico. Frio. Por vezes, cheio de sombras. Mas com uma escrita de muita qualidade. Recomendo!

Classificação: 5*