Opinião: A Noiva do Marquês de Tessa Dare

 

Livro: A Noiva do Marquês (#2, Castles Ever After)

Autora: Tessa Dare

Páginas: 304

Sinopse: Ela tinha tudo o que uma donzela da sua posição podia querer: era linda e estava noiva do solteiro mais cobiçado da cidade. Um longo e desesperante noivado, porém, levou-a a querer romper o compromisso e a tomar as rédeas da sua vida.
Clio Whitmore está noiva do Marquês de Granville há oito anos, mas ele está sempre ausente no estrangeiro, levando-a ao desespero por não se sentir desejada. Quando Clio herda um castelo que lhe proporciona independência financeira, decide romper o noivado e iniciar uma nova vida. Para tal, ela terá de convencer Rafe, irmão e procurador do Marquês, a aceitar o fim do noivado. Mas Rafe tem planos para a fazer mudar de ideias, organizando-lhe um casamento de sonho…
Ele começa com flores. Um casamento nunca tem flores suficientes… Ele diz-lhe que ela dará uma belíssima noiva… e tenta não imaginá-la como sua.
Como conseguirá Rafe convencer Clio a casar-se sem se deixar vencer pelos sentimentos que crescem dentro dele, e que são a cada dia mais fortes?
Ele não irá apaixonar-se pela única mulher que nunca poderá beijar nem dizer ser sua. Ou irá?

Opinião: 

O delicioso romance histórico que Tessa Dare nos apresenta preenche e aquece o coração dos leitores mais românticos e sonhadores (euzinha incluída!). Este é o segundo volume da série Castles Ever After e a escrita desta autora já se começa a entranhar na minha veia mais romântica, num apelo sentido à degustação literária dos seus romances e das suas obras cheias de momentos de humor e ternura.

Para além da capa lindíssima deste livro (aliás a TopSeller tem apresentado, ultimamente, capas maravilhosas que cativam até os leitores mais distraídos), a leitura apresenta-se muito fluída e divertida, intercalando cenas cómicas dignas de um filme, e momentos de paixão e sensualidade dignos dos poemas mais apaixonados.

Esta série está a ganhar um espaço restrito na minha estante e na minha alma literária mais romântica. Tessa Dare realça nos seus livros a beleza interior mais que qualquer outra temática (no primeiro livro também abordava esta questão “física” do que consideramos bonito) e neste volume reforça a importância do brilho interior de cada um, da personalidade marcante de cada personagem que se sobrepõe a qualquer “beleza física” ditada pela sociedade. Adorei e recomendo vivamente!

Classificação: 5*

Citação: “Quando ele, Bruiser e as três irmãs Whitmore se juntaram na maravilhosa capela, tinham passado vinte e duas horas. Rafe ocupara cerca de vinte e uma e meia delas a pensar, a sonhar e a repreender-se por ter beijado Clio.”

Também li desta autora: 

Opinião no blogue: Romance com o Duque

Anúncios

Opinião: The Shining de Stephen King

 

Livro: The Shinning (#1, The Shinning)

Autor: Stephen King

Páginas: 619

Sinopse: Jack Torrance é contratado para tomar conta de um velho hotel isolado no meio das montanhas Rochosas, no Colorado, durante o inverno, altura em que este se encontra encerrado. Tudo indica que este emprego será a solução dos seus problemas e dos da sua família – Jack vai conseguir terminar a peça que anda a escrever, as dificuldades vão ficar para trás, a sua mulher vai deixar de sofrer e o seu filho Danny, um rapazinho de cinco anos de uma incrível sensibilidade, vai poder voltar a respirar ar puro e ultrapassar as estranhas convulsões que tem tido.
Mas as coisas não são tão perfeitas como parecem – existem forças malignas nos antigos corredores do hotel e, isolados do mundo pelos fortes nevões e sem meios de comunicar com o exterior, Jack e a família são uma presa fácil para as criaturas sinistras que por ali pairam. O hotel é uma chaga aberta de ressentimento e desejo de vingança, e, inevitavelmente, um confronto entre o bem e o mal vai ter que ser travado.

Opinião:

Quando me esqueço de respirar e as páginas escorregam entre os dedos (difíceis de virar), a garganta enrola-se num grito interior (como se dessa forma pudesse parar a trama e salvar algumas personagens) é quando me apercebo que estou a ler Stephen King e respiro de alívio (ou emoção contida difícil de digerir). King tem um efeito em mim difícil de descrever: ás vezes adoro a sua forma notável de escrever, outras fico chocada com alguns termos e alguma (muita) violência (física e psicológica), por vezes surpreende-me com a sua imaginação inconcebível, cheia de terror e humor negro. Apesar de todas estas emoções contraditórias é um escritor que não deixa ninguém indiferente.

Shining traduzido literalmente significa brilhante ou reluzente. No âmbito deste livro, alguém com “brilho” significa que tem a capacidade de ver/ouvir/sentir para além do mundo físico (alguém com capacidades mediúnicas). É aqui que se enquadra um menino de 5 anos – Danny – filho do casal protagonista desta história. Um menino amoroso que nos cativa pela sua inocência e nos faz querer protegê-lo perante algumas experiências horrendas pelas quais tem de passar ao longo do livro.

Este livro foi adaptado a filme em 1980 mas nunca tive oportunidade de ver. O livro contém um registo de violência (psicológica e física) muito elevado, por isso não recomendaria este livro a leitores mais jovens ou mais sensíveis a estes temas. Contudo, para os apreciadores de histórias de terror (a todos os níveis) este é um livro a não perder.

Classificação: 4*

Citação: “O relógio começou a dar uma série de badaladas de som metálico. (Meia-noite! É meia-noite!) (É altura de tirar as máscaras!)”

Também li deste autor:

   

Opiniões no blogue: O Retrato de Rose Madder; Metade Sombria; A Hora do Vampiro; Misery

Opinião: Sombras da Noite Branca de Sandra Carvalho

 

Livro: Sombras da Noite Branca (Livro 8, Saga das Pedras Mágicas)

Autora: Sandra Carvalho

Páginas: 560

Sinopse: O momento de todas as decisões aproxima-se. Halvard, o Filho do Dragão, espera ansiosamente a chegada da Noite Branca para assimilar o Conhecimento Absoluto e tornar-se um deus na Terra. Quase todos os seus inimigos foram destruídos; apenas o rei Ivarr do povo viquingue, os Guardiães das Lágrimas do Sol e da Lua e os Sacerdotes dos Penhascos ainda resistem. Entretanto, a guerreira Kelda da Montanha Sagrada treinou com afinco sob a orientação do feiticeiro Sigarr e está pronta para se tornar mestra da Arte Obscura. Apesar de saber que a celebração desse ritual irá extinguir a luz da sua essência, ela persiste, pois acredita que só assim poderá deter o avanço sanguinário do irmão gémeo. Todavia, a revelação de que o seu destino é concretizar a profecia e não contrariá-la poderá abalar as suas convicções. Terá Kelda a determinação e a força necessárias para cumprir a missão que a Pedra do Tempo lhe atribuiu, enquanto chora a perda do amor do príncipe da Gente Bela? Ou, sobre o Altar do Mundo, cederá ela à tentação do poder e abrirá o seu coração às sombras da Noite Branca? Sombras da Noite Branca é o oitavo volume da série de culto Saga das Pedras Mágicas, que encerra mais um capítulo desta aventura fantástica e apaixonante.

Opinião:

Pouco passava da meia-noite quando virei a última página deste livro. O silêncio tinha como pano de fundo o vento ligeiro que embatia na minha janela, como se não houvesse vivalma à minha volta, apenas as personagens desta saga, que se tornavam mais reais que qualquer som que o ouvido humano possa distinguir. “Sombras da Noite Branca” é o oitavo e último volume da Saga das Pedras Mágicas da talentosa autora portuguesa, Sandra Carvalho.

Este livro apresenta o desfecho da história dos dois irmãos gémeos (Kelda e Halvard) que apesar de semelhantes na linhagem de sangue são completamente distintos em carácter e personalidade. Um é luz o outro escuridão. Sandra Carvalho apresenta mais um livro magnífico, cheio de capítulos dinâmicos e de muita acção. Reencontramos personagens queridas de livros anteriores, revisitamos locais encantados e recordamos o amor de Kelda e do príncipe da Gente Bela, Lysander (com o feiticeiro Sigarr, pelo meio).

São sete as pedras mágicas que, devido à magia contida em cada uma delas, conseguem (não de forma deliberada) obliterar a vontade dos humanos (ou outros seres mágicos) em promessa de um poder para lá do imaginado. Neste último volume temos acesso ao destino das pedras e da forma como são restituídas a quem de direito.

Este saga terá um cantinho especial na minha estante e na minha memória. A narrativa de Sandra Carvalho conquistou-me desde o primeiro livro e proporcionou-me momentos fantásticos de leitura, ao longo de toda a saga. Gostei muito!

Classificação: 4*

Citação: “Uma Voz melodiosa e doce entoava um hino de amor eterno que encantava a Ilha dos Penhascos: «O meu coração será teu enquanto as estrelas brilharem no céu…»”

Também li desta autora:

      

Opiniões no blogue: O Guerreiro Lobo; Lágrimas do Sol e da Lua; O Círculo do Medo; Os Três Reinos; A Sacerdotisa dos Penhasco; O Filho do Dragão

Opinião: A Alma Iluminada de Alexandra Solnado

 

Livro: A Alma Iluminada (Este Jesus Cristo Que Vos Fala)

Autora: Alexandra Solnado

Páginas: 200

Sinopse: O nome deste livro será A Alma Iluminada. Está na hora das pessoas perceberem que a sua evolução tem valido a pena. Daqui do céu consigo ver as luzes, a alegria das almas que finalmente encontraram a luz.
Essas almas hoje estão mais livres do que nunca. Estão mais iluminadas, mais esclarecidas. Este nome é simbólico. É como que um contributo, uma homenagem dos habitantes do céu a estes homens navegantes do tempo, por todas as batalhas perpetradas em nome da evolução da humanidade. É uma homenagem que vos queremos fazer. Queremos que saibam que estamos atentos cá em cima, a perceber as dificuldades e a apontar caminhos. A 28 de março de 2002, Jesus Cristo revelou-se pela primeira vez a Alexandra Solnado. Este contacto teve início quando a autora passou por um momento de grande desespero e não teve outra alternativa senão confiar ao céu a solução do seu problema. Foi a partir desse momento que Alexandra percebeu que a vida tinha planos para ela e que, por muito que ela os tentasse frustrar, eles acabariam por se concretizar. Desde então, tem registado e tornado públicas as mensagens de amor, esperança e iluminação que Jesus lhe transmite. A Alma Iluminada revela a iminência de uma nova era espiritual, plena de luz e amor, que surgirá quando a Humanidade souber libertar-se do peso dos seus medos, do seu passado e das suas falsas crenças.

Opinião:

A Alma Iluminada faz parte da série Este Jesus Cristo Que Vos Fala da escritora portuguesa Alexandra Solnado. Neste livro voltamos a ter acesso às mensagens maravilhosas e luminosas de Jesus. As mensagens são, à semelhança dos livros anteriores, relatadas cronologicamente por Alexandra Solnada, de uma forma intimista, simples de compreender e assimilar. Parece que estamos a ler um diário de um amigo querido ao nosso coração.

O tema da espiritualidade é, cada vez mais, uma área que gosto de ler e explorar. Sou curiosa por natureza sobre estes assuntos e, confesso que quanto mais leio neste âmbito, mais a curiosidade se adensa. Gostei muito e espero continuar a ler mais livros desta autora.

Classificação: 4*

Citação: “Encontro-me sempre contigo cá em cima. Mais do que almas companheiras, nós somos almas cúmplices, que nos divertimos na imensidão do céu.”

Também li desta autora:

   

Opiniões: Conexão, A Entrega, A Era da Liberdade

Nota: O Livro da Luz é um livro de meditação e reflexão diária.

Opinião: Eu Sei Que Voltarás de Mary Higgins Clark

 

Livro: Eu Sei Que Voltarás (Alvirah and Willy #8)

Autora: Mary Higgins Clark

Páginas: 421

Sinopse: Alexandra, uma bela designer de interiores com uma carreira de sucesso, fica aterrorizada ao descobrir que alguém anda não só a usar os seus cartões de crédito e a movimentar as suas contas para a levar à miséria, como também a tomar a sua identidade para cometer crimes violentos, de rapto e homicídio. Logo ela, que já vivia assombrada pelo desaparecimento do próprio filho, raptado à luz do dia em Central Park há dois anos. Agora que o filho faria cinco anos, começam a surgir fotografias que sugerem que foi ela que raptou o próprio filho, seguidas de uma série de acontecimentos que indicam que, de alguma maneira, alguém conseguiu roubar-lhe a identidade. Mas quem? E porquê? Perseguida pela imprensa, sob investigação policial, atacada pelo ex-marido e por um rival nos negócios, a única coisa que lhe dá esperança é a fé de que o filho continua vivo. Só não percebe que, cada passo seu em direção à verdade, a põe a si e aqueles que ama em grande perigo. Até as pessoas que a apoiam acreditam que foi ela a raptar o filho e a própria Alexandra começa a duvidar da sua sanidade mental. Mas num final explosivo, característico da Mary Higgins Clark, as peças do puzzle encaixam finalmente numa revelação inesperada e chocante.

Opinião: 

Os livros de Mary Higgins Clark são sempre uma excelente escolha de leitura para quem procura uma história empolgante e cheia de suspense. “Eu Sei Que Voltarás” é um Best-seller do New York Times e do Sunday Times. Este livro faz parte da série Alvirah and Willy, sendo este o oitavo volume desta série.

Clark apresenta-nos uma história que tem como tema o roubo de identidade e as consequências e implicações na vida de uma pessoa. O mistério adensa-se ao longo de toda a trama, como uma teia de aranha, em que muitas personagens (todas elas fulcrais para o desfecho da história) se cruzam e tropeçam entre si numa busca incessante por um culpado(a). “Nem tudo o que parece é” seria extremamente adequado no enquadramento deste livro.

Um thriller muito bem escrito pela tão conhecida “Rainha do Suspense”, cujo talento é indiscutível. As personagens são muito bem retratadas e enriquecem a trama de uma forma marcante. Mais um livrinho que gostei muito e que se vai juntar à minha pequena colecção de livros desta autora norte-americana.

Classificação: 4* 

Citação: “Encostou uma madeixa do cabelo dela à sua bochecha e disse, satisfeito: – Só tinha de ter a certeza que tu estavas aqui, mamã…”

Também li desta escritora:

     

Opiniões: Lar Doce Lar, Deixa-me Chamar-te Meu Amor, Onde Estão As Crianças?, Recordação Perigosa, Os Anos Perdidos, A Sombra do Teu Sorriso

 

Opinião: A Obsessão de Nora Roberts

 

Livro: A Obsessão

Autora: Nora Roberts

Páginas: 418

Sinopse: Há segredos sombrios que se recusam a ser enterrados no passado… 
Naomi Bowes perdeu a inocência na noite em que seguiu o pai para a floresta. Ao libertar a rapariga que ele prendera na cave do celeiro, Naomi revelou a extensão terrível dos crimes do seu pai, condenando-o a uma vida de prisão perpétua.
Anos mais tarde, a viver como Naomi Carson, uma fotógrafa de sucesso, encontra conforto na pequena cidade de Sunrise Cove e numa casa vazia a necessitar de reparações, longe de tudo o que conhece. Naomi quer abraçar a solidão, mas os simpáticos residentes de Sunrise Cove convidam-na a abrir-se – especialmente o determinado Xander Keaton.
Naomi sente as defesas a ceder e sabe que a sua nova vida lhe oferece tudo aquilo que sempre desejou. Mas os pecados do seu pai tornam-se uma obsessão, e quando o seu mundo é abalado por uma série de assassinatos, ela percebe que o passado está apenas a um pesadelo de distância.

Opinião:

Já há algum tempo que não lia Nora Roberts e quando iniciei a leitura senti que estava a voltar a casa. Um sentimento de reconhecimento, aconchego e ternura. Apesar dos milhares de livros publicados, dos inúmeros êxitos literários e dos best-sellers registados internacionalmente, Nora Roberts consegue sempre surpreender. As suas histórias são sempre originais e inovadoras. A única semelhança é o talento da sua escrita e a evidência (e importância) das relações amorosas e de amizade que são retratadas nas suas obras.

Neste livro temos uma mistura de suspense e romance que nos envolve da primeira à última página. As personagens são deliciosas (como em qualquer livro de Roberts), mas nesta obra, em específico, existe um cão (Carraça é o seu nome) absolutamente apaixonante e com um papel fundamental (e crucial) na história. O seu papel, na minha perspectiva, é uma alegoria à própria protagonista e ao seu percurso na história.

O suspense inicial, em que acompanhamos a infância e a adolescência de Naomi, contribui para dar uma profundidade diferente à história e beneficiou toda a narrativa subsequente. Adorei o romance de Naomi e Xander e os tios carinhosos e amoroses de Naomi (Seth e Harry). Um livro em que o amor, a amizade, a família (por mais diferente e fora do normal que ela seja, o que importa é que haja amor) e a lealdade de um animal de estimação são os pontos fortes que destaco neste livro. Gostei muito e recomendo!

Classificação: 5*

Citação: “Uma vida repleta de nasceres do Sol, de lilases, de amigos e momentos tranquilos … E um cão do melhor.”

Também li desta escritora (Já lhes perdi a conta, mas aqui ficam alguns que me lembro):

                        

Opiniões publicadas no blogue: A Ilha das Três Irmãs; Entre o Céu e a Terra; A Cor do Fogo; Última Paragem; Jóias do Sol; As Lágrimas da Lua; O Coração do Mar; A Cruz de Morrigan; O Céu de Montana; O Azul da Baía; Nudez Mortal; Glória Mortal; Fama Mortal

Opinião: Relicário de Douglas Preston & Lincoln Child

 

Livro: Relicário (#2, Pendergast)

Autores: Douglas Preston & Lincoln Child

Páginas: 388

Sinopse: Nas profundezas de Manhattan escondem-se túneis, esgotos e galerias esquecidas por aqueles que caminham nas ruas da cidade. E na sua escuridão jazem adormecidos segredos aterradores. 
Quando dois esqueletos grotescamente deformados são encontrados na lama na costa de Manhattan, a antropologista Margo Green é chamada para auxiliar na investigação. Numa parceria com o tenente de polícia D’Agosta e o agente do FBI Pendergast, juntos tentam investigar e resolver o enigma dos homicídios. 
Mas quando crimes brutais invadem a cidade e incitam a população a tomar medidas drásticas, apenas a equipa de investigadores será capaz de evitar uma catástrofe global. As pistas conduzem-nos aos subterrâneos de Manhattan, onde irão descer ao inferno e enfrentar os piores pesadelos…

Opinião:

Depois de ter adorado o primeiro livro desta série maravilhosa, não resisti e peguei logo neste segundo volume cuja sinopse prometia uma obra da mesma qualidade e audácia. Após uma pequena pesquisa percebi que existem vários volumes editados desta série – Pendergast – e que pretendo seguir com atenção, visto ter ficado fã desta dupla de escritores.

Neste livro voltamos a reencontrar os personagens fantásticos do primeiro livro: O tenente D’Agosta, a antropologista Margo, o jornalista Smithback e o infalível e excêntrico, agente do FBI, Pendergast. Mas também surgem novas personagens nos tunéis e esgotos de Manhattan. Os sem-abrigo dos subterrâneos – ou toupeiras, como lhes chamam – são baseados em factos reais, conforme mencionado pelos autores nas notas finais do livro e retratam uma realidade arrepiante do dia-a-dia de mais de cinco mil pessoas, só naquela cidade! É algo que nos faz pensar e reflectir!

Adoro cada uma destas personagens e na forma como os escritores conjugam o terror, acção e humor ao longo de toda a narrativa. Neste livro os nossos heróis voltam a deparar-se com uma ameaça desconhecida, capaz de despertar pesadelos antigos vividos num Museu à muito esquecido (ou pelo menos tentaram esquecer). Adorei mais uma vez e obrigada à minha sobrinha Ana que me emprestou estes dois livros maravilhosos.

Classificação: 5*

Também li destes escritores:

 

Impacto 

A Relíquia