Opinião: Relicário de Douglas Preston & Lincoln Child

 

Livro: Relicário (#2, Pendergast)

Autores: Douglas Preston & Lincoln Child

Páginas: 388

Sinopse: Nas profundezas de Manhattan escondem-se túneis, esgotos e galerias esquecidas por aqueles que caminham nas ruas da cidade. E na sua escuridão jazem adormecidos segredos aterradores. 
Quando dois esqueletos grotescamente deformados são encontrados na lama na costa de Manhattan, a antropologista Margo Green é chamada para auxiliar na investigação. Numa parceria com o tenente de polícia D’Agosta e o agente do FBI Pendergast, juntos tentam investigar e resolver o enigma dos homicídios. 
Mas quando crimes brutais invadem a cidade e incitam a população a tomar medidas drásticas, apenas a equipa de investigadores será capaz de evitar uma catástrofe global. As pistas conduzem-nos aos subterrâneos de Manhattan, onde irão descer ao inferno e enfrentar os piores pesadelos…

Opinião:

Depois de ter adorado o primeiro livro desta série maravilhosa, não resisti e peguei logo neste segundo volume cuja sinopse prometia uma obra da mesma qualidade e audácia. Após uma pequena pesquisa percebi que existem vários volumes editados desta série – Pendergast – e que pretendo seguir com atenção, visto ter ficado fã desta dupla de escritores.

Neste livro voltamos a reencontrar os personagens fantásticos do primeiro livro: O tenente D’Agosta, a antropologista Margo, o jornalista Smithback e o infalível e excêntrico, agente do FBI, Pendergast. Mas também surgem novas personagens nos tunéis e esgotos de Manhattan. Os sem-abrigo dos subterrâneos – ou toupeiras, como lhes chamam – são baseados em factos reais, conforme mencionado pelos autores nas notas finais do livro e retratam uma realidade arrepiante do dia-a-dia de mais de cinco mil pessoas, só naquela cidade! É algo que nos faz pensar e reflectir!

Adoro cada uma destas personagens e na forma como os escritores conjugam o terror, acção e humor ao longo de toda a narrativa. Neste livro os nossos heróis voltam a deparar-se com uma ameaça desconhecida, capaz de despertar pesadelos antigos vividos num Museu à muito esquecido (ou pelo menos tentaram esquecer). Adorei mais uma vez e obrigada à minha sobrinha Ana que me emprestou estes dois livros maravilhosos.

Classificação: 5*

Também li destes escritores:

 

Impacto 

A Relíquia

Opinião: A Relíquia de Douglas Preston & Lincoln Child

 

Livro: A Relíquia (#1 Pendergast)

Autores: Douglas Preston & Lincoln Child

Páginas: 346

Sinopse: Quando uma equipa de arqueólogos é selvaticamente massacrada na bacia do Amazonas, tudo o que resta da expedição é a estátua arrepiante de um deus, que acaba por ser enviada para o Museu de História Natural de Nova Iorque. Mas o coração negro da Amazónia nunca esquece. Algum tempo depois, quando o museu decide expor a estátua, alguém ou algo começa a vaguear pelos corredores e galerias poeirentas do museu. E é então que se dão as mortes brutais. Mas quem será o responsável? Um louco… ou algo muito mais inexplicável? Relíquia é um romance arrepiante onde se entrelaça o dia a dia de um enorme museu com factos científicos, personagens poderosas e um enredo que arrebata o leitor da primeira página até à reviravolta final.

Opinião:

Não poderia ter terminado o ano com um livro melhor! Arrebatador, viciante, arrojado e cheio de acção, são algumas das características desta obra escrita pelo jornalista e autor Douglas Preston e pelo escritor Lincoln Child. Que dupla incrível e talentosa!

A narrativa decorre maioritariamente no Museu de História Natural de Nova Iorque. Este museu existe na realidade e foi fundado em 1869, sendo muito conhecido pela colecção extraordinária de esqueletos de dinossauro. É o maior museu de história natural do mundo (foto em baixo).

Preston e Child transportam-nos para um thriller de cortar a respiração e que eu adoraria ver retratado para o grande ecrã. Todavia, a escrita brilhante destes dois escritores criam cenas tão fluídas que parece que estamos, efectivamente, a ver um filme. As personagens são muito bem construídas, as descrições do interior do museu são absolutamente fenomenais e as investigações decorrentes da história denotam um trabalho de pesquisa muito rigoroso destes autores. Os conceitos científicos, botânicos e químicos são abordados de uma forma bastante acessível e interessante no contexto da história.

É impossível pousar este livro, a partir do momento em que lhe pegamos. Devorei este livro, sem me aperceber que as páginas passavam pelos meus dedos e sem me aperceber do mundo à minha volta. É uma obra cheia de qualidade e que recomendo vivamente! Adorei!

Classificação: 7*

Também li de Douglas Preston:

Impacto