Opinião: A Condessa de Rebecca Johns

 

Livro: A Condessaa condessa

Autora: Rebecca Johns

Páginas: 336

Sinopse: A bela condessa Erzsébet Báthory nasceu num berço de ouro da aristocracia húngara. Nada faria prever que acabaria os seus dias encarcerada na torre do seu próprio castelo. O seu crime: os macabros assassínios de dezenas de criadas, na sua maioria jovens raparigas torturadas até à morte por desagradarem à sua impiedosa senhora.
Pouco antes de ser isolada para sempre, Erzsébet conta a apaixonante história da sua vida. Ela foi capaz dos mais cruéis actos de tortura mas também do mais apaixonado e intenso amor. Foi mãe, amante, companheira… uma mulher que teve o mundo a seus pés e se transformou num monstro.
Os seus opositores retrataram-na como uma bruxa sanguinária, um retrato que fez dela a mulher mais odiada da História. Erzsébet inspirou Drácula, inscreveu-se na literatura clássica e contemporânea, deu azo a filmes, séries de TV e até jogos de computador.

Opinião:

Isabel Bathory nasceu no século XVI, foi uma condessa húngara da prestigiada família Bathory que ficou conhecida por uma série de crimes horríveis. O seu nome em Húngaro é Báthory Erzsébet e este livro é um retrato romanceado da sua vida. Muitos dizem que inspirou a obra ficcional Drácula e algumas adaptações cinematográficas.

isabel bathory

Foto de Isabel Bathory

Eu Adorei cada minuto deste livro! Foi uma surpresa muito agradável, quer pela qualidade excecional da escrita, quer pela história cativante que nos é apresentada. No início não imaginamos que a menina doce e cordial de apenas onze anos se iria tornar na primeira assassina em série da história. Fiquei tão curiosa com esta história que tive de fazer uma pequena pesquisa sobre esta figura da história húngara.

Castelo-de-Erzsebet-Bathory2

Foto tirada em 2001 pela equipa da Discovery Channel. Apresenta a colina do Castelo Catchtice, onde viveu a Condessa.

É um romance fascinante e macabro, com uma escrita cuidada e que denota muito trabalho de pesquisa por parte da autora. Dei por mim no início a gostar imenso da força e determinação de Ersébet Báthory. Contudo, à medida que a narrativa avança denotamos uma frieza e insensibilidade para com as suas criadas e serventes, com castigos arrepiantes e de consequências terríveis. Apesar de tudo, a escritora realça outros pontos do carácter desta mulher e talvez algumas razões para se ter tornado numa mulher tão complexa e temível. Acabei por sentir pena desta mulher, que muitos descrevem como um monstro.

Adorei e recomendo vivamente!

Classificação: 6*

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s